terça-feira, 22 de maio de 2018


Leite materno ou leite de fórmula


Os bebês nascem para serem amamentados. O leite materno não só é ideal para a nutrição do bebê, como também para a proteção contra doenças, o desenvolvimento do sistema imunológico e o crescimento do cérebro. É importante comparar os benefícios da amamentação com os benefícios da fórmula. Contudo, é importante ter atenção pois alimentar o bebê com leite de fórmula pode interferir com o sucesso da amamentação.
Veja abaixo um comparativo legal desenvolvido pela Momy Assessoria divulgado pelo site mamaeplugada.com.br, comparando inclusive o leite de vaca:



Leite materno



É recomendado que o seu bebê seja exclusivamente alimentado com leite materno até aos seis meses, a menos que por motivos médicos seja necessária a suplementação. O seu corpo foi concebido para sustentar o seu bebê. Nenhum leite formulado consegue reproduzir as propriedades únicas do leite materno, porém há momentos em que o bebê tem a necessidade de nutrientes ou calóricas maiores a que o seu leite pode proporcionar, e é perfeitamente normal que o pediatra possa recomendar a complementação. Não se preocupe ou se sinta mal por conta disso.

Nos primeiros dias após o parto, algumas mães receiam que os seus bebês não recebam leite materno suficiente, pois neste período inicial os recém-nascidos são alimentados entre 10 e 12 vezes por dia. A família e os amigos bem-intencionados poderão sugerir que alimente o bebê com fórmula até o leite materno "descer". Porém, na verdade, o estômago de um recém-nascido é pequeno (aproximadamente do tamanho de uma bolinha de gude) e apenas consegue reter cerca de uma colher de chá de líquido de cada vez. Isto corresponde aproximadamente à quantidade de colostro, ou primeiro leite, disponível em cada sessão de alimentação. É exatamente o que os bebês necessitam nos primeiros dias de vida e a quantidade certa.

Alguns dias após o parto, o colostro mudará para leite de transição e, posteriormente, para leite maduro, num período de 7 a 10 dias. Alimentar o seu bebê com mamadeira ou com fórmula e, consequentemente, reduzir o tempo e a frequência com que o bebê é amamentado, pode interferir na sua produção de leite. Como consequência, isto pode impactar o sucesso da amamentação.

Leite em pó ou fórmula


O leite materno é específico da espécie, feito sob medida, adaptado às necessidades do seu bebê, cheio de células vivas e fácil de digerir. A fórmula é fabricada com base no leite de vaca e tem um teor definido de fábrica. Nenhum leite em pó consegue reproduzir as propriedades únicas do leite materno, independentemente de quantas vitaminas, minerais e suplementos se adicionem ao que é, no fundo, apenas uma formulação química.

Caso tenha dúvidas sobre o leite materno ou o leite em pó (fórmula), não deixe de falar com seu pediatra ou consultor em aleitamento.

Este post é uma cortesia da equipe de pesquisa da https://www.babycentral.com.br/


Os benefícios da amamentação para o bebê


O leite materno é a nutrição perfeita para o seu bebê. Fornece a combinação exata de nutrientes e anticorpos protetores de que o bebê necessita.

Porquê amamentar?


A lista seguinte resume os principais benefícios da amamentação para o seu bebê. Existem alguns motivos muito convincentes pelos quais as principais organizações de saúde, incluindo a Organização Mundial de Saúde (OMS), recomendam que as mães amamentem exclusivamente durante os primeiros seis meses e continuem a alimentar os seus bebês com leite materno em complemento aos alimentos sólidos nos primeiros dois anos.



  • O leite materno contém tudo o que o seu bebê precisa: proteínas, lipídios, lactose, vitaminas, ferro, minerais, água e enzimas nas quantidades exatas para o crescimento e desenvolvimento ideais.
  • O leite materno contém substâncias que impedem o crescimento de bactérias nocivas nos intestinos, que causariam infeções gastrointestinais e diarreias.
  • Os bebês amamentados tem menos infeções no ouvido médio, menos infeções respiratórias e um risco reduzido de desenvolver alergias, cancro, diabetes infantil e obesidade.
  • Os bebês amamentados têm um risco reduzido de Síndrome de Morte Súbita Infantil (SMSI).
  • Os bebês amamentados têm menos tendência a desenvolver diabetes, doenças cardíacas, eczema, asma e outras doenças alérgicas ao longo da sua vida.
  • Amamentar um bebê prematuro reduz o risco de este desenvolver enterocolite necrosante (NEC).
  • A amamentação melhora o desenvolvimento cerebral. Estudos comprovam que há um melhor desenvolvimento e acuidade visual em crianças que foram amamentadas com leite materno.
  • O leite materno tem a temperatura adequada e não necessita de preparação. Está disponível sempre que o seu bebê precisar.
  • Amamentar é mais do que alimentar. Reforça a ligação emocional entre o bebê e a mãe e proporciona calor, amor e afeto.

Proporcione os benefícios da amamentação e do leite materno ao seu bebê para um bom começo e um desenvolvimento saudável.

Este post e blog é uma cortesia da equipe de pesquisa do https://www.babycentral.com.br/

segunda-feira, 21 de maio de 2018

Primeiros dias do bebê recém-nascido em casa


Primeiros dias do bebê recém-nascido em casa

Mamãe, um dos momentos mais mágicos, emocionantes e fantásticos da minha vida foi quando cheguei em casa pela primeira vez com meu primeiro filho. Uma mistura de emoções e sensações, mas o que não esqueço era o medo e a insegurança de estarmos sozinhos com a responsabilidade de não matar um outro ser humano. Aqui vão algumas dicas que eu eu e minha mulher, se tivéssemos a época, ajudariam muito.

Gestão do Tempo é muito importante


O mais importante: o foco agora são as necessidades básicas suas ou do bebê, além disso, aproveite algum tempo para relaxar e respirar. Você tem um novo papel e demora um pouco de tempo até se habituar a ser mãe e aprender o que significa a maternidade! Peça ajuda ao seu companheiro, à família e aos amigos mais próximos com as tarefas domésticas, tais como cozinhar, limpar, ir às compras e cuidar dos seus outros filhos. Não tenha vergonha e não queira ser arrogante neste momento, todos querem e irão ajudar com o maior prazer.

Gerir o seu tempo após o retorno a casa com o seu bebê vai ser um desafio, principalmente se for a primeira maternidade. Manter-se conectada através do celular, do e-mail ou das redes sociais pode ser uma forma legal de partilhar informações e fotografias do nascimento. Também pode ser utilizado para informar as pessoas de quando estiver preparada para visitas e ligações (e de quando não está). Não tem mal nenhum em desligar, tirar várias sonecas e desfrutar dos primeiros dias de vida com seu bebê.

Os bebês tendem a estar um pouco sonolentos nos primeiros dois a três dias após o parto, mas esteja preparada para que o seu bebê fique mais alerta, ativo e barulhento após estes primeiros dias. Isto significa que o seu bebê começará a lhe informar quando tem fome, muitas vezes podendo não seguir o horário que você esperava ou gostaria.

No inicio é difícil identificar, mas amamente quando o seu bebê indicar sinais de fome, como movimentos com a boca, remexer-se ou movimentos de sucção, depois de algum tempo colada no bebê estes sinais ficaram mais claros. Tente identificar os sinais de que o bebê está mamando o suficiente, como seis ou mais fraldas molhadas, três ou mais fraldas sujas e entre 8 a 12 ou mais amamentações a cada 24 horas. Após a alta hospitalar, certifique-se também de marcar uma consulta com pediatra para acompanhar o seu bebê e controlar o peso. O seu bebê deve ganhar cerca de 20 a 30 g por dia, ou 140 g ou mais por semana. Isso pode variar dependendo da estrutura do seu bebê, por isso é importante o acompanhamento de um profissional de saúde.

Durante estes primeiros dias em casa, você vai coletar informações. Dicas com a família, leituras, áudios e afins, e criará lentamente um estilo seu de maternidade, para você e sua família. Cada dia será diferente. Desfrute do seu bebê e celebre o seu crescimento como mãe.

Participação do papai


Nestes primeiros dias, o papel do seu companheiro é diferente do seu – também será muito especial e único. O melhor que o seu companheiro pode fazer é ajudar a criar uma espécie de casulo em sua casa: um local calmo e confortável onde possa praticar a amamentação com o seu bebê sem interrupções. Poderá ficar encarregado dos telefonemas ou das pessoas que apareçam à porta, para que você possa relaxar e concentrar-se em conhecer o seu bebê.

Apesar de estar profundamente envolvida nos cuidados e na alimentação do bebê nestes primeiros dias, existem muitas formas de o seu companheiro também criar laços com o bebê: acalmar o bebê pegando no colo, mantendo contato de pele com pele contra o seu peito (momento de troca de energias), brincar na hora do banho ou simplesmente sentar-se com você para desfrutar desses momentos especiais criados pela amamentação. O seu companheiro também pode ajudá-la trocando as fraldas, passando tempo com os seus outros filhos e ajudando com as tarefas domésticas. Eventualmente, talvez possa alimentar o bebê com o leite materno extraído após a amamentação estar bem estabelecida (normalmente após três ou quatro semanas).

Cada bebê é diferente, e levará um tempo para se habituar a esta nova vida em conjunto. Se tiver alguma dúvida ou preocupação, consulte o seu médico ou consultor em aleitamento materno.

Este post e blog é uma cortesia da equipe de pesquisa do https://www.babycentral.com.br/

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Alimentação para mamães durante o período de aleitamento

Alimentação para mamães durante o período de aleitamento


Existem vários mitos e “dicas” de vovós e amigos, porém na realidade, não há necessidade de consumir alimentos especiais durante o período de aleitamento. Também não tem necessariamente de evitar certos alimentos ou bebidas, com duas exceções importantes: consuma cafeína com muita moderação e evite o álcool por completo.

Alimentos durante a amamentação


Não é necessário seguir regras de nutrição especiais durante a amamentação. No mundo inteiro, as mães consomem alimentos picantes, por exemplo, e amamentam os seus bebês com sucesso. Porém, é boa ideia manter a sua dieta habitual, assegurando-se de que está consumindo uma grande variedade de alimentos e de preferência que não sejam processados e principalmente ultraprocessados. Uma alimentação com alimentos saudáveis terá reflexo na sua saúde e consequentemente na saúde do bebê.
Alguns alimentos podem alterar o sabor do leite materno, mas é raro os bebês reagirem a isto. Caso o seu bebê se mostre reticente após ter consumido um determinado alimento ou especiaria, tente evitar esse alimento por completo durante cerca de quatro dias. Esteja atenta ao seu bebê e veja se essa rejeição desaparece. Algumas vezes, é necessário evitar este alimento em particular durante duas a três semanas ou mais tempo, até o bebê conseguir tolerar que você o consuma novamente. Reintroduza uma pequena quantidade e veja a reação do bebê.
Muitas vezes as pessoas relacionam a alimentação da mãe às cólicas do bebê. Até o momento não há estudos que mostrem uma correlação direta entre a alimentação da mãe e as cólicas. As cólicas (e o choro por conta delas) são normais e comuns a partir dos 15 dias até os 3 a 4 meses de vida do bebê.
Caso siga uma dieta muito específica (por exemplo, macrobiótica ou vegana), consulte o seu pediatra para saber como essa dieta irá afetar o seu leite.

Bebidas durante a amamentação


É necessária uma quantidade suficiente de líquidos para se manter bem hidratada, mas deve beber apenas para matar a sede. Aliás você provavelmente irá sentir muita sede durante o processo de amamentação, por isso é importante sempre deixar um recipiente com água durante o processo. Se a sua urina for clara ou de um tom amarelo pálido, significa que você está bebendo a quantidade suficiente de líquidos. Dois litros de líquidos por dia (ou mais, se estiver habituada) é um bom objetivo. Lembre-se de que a sopa e outros alimentos também contêm água.
Uma mãe que amamenta pode beber sem qualquer problema cerca de duas xícaras de café por dia. Mas lembre-se, quando a cafeína entra na corrente sanguínea, uma pequena quantidade pode ser passada para o bebê através do leite materno. Beber mais cafeína do que o recomendado pode causar agitação ou problemas de sono ao bebê. Se mesmo uma única xícara por dia desencadear alguma reação, é aconselhável mudar para descafeinado.
O álcool também entra na corrente sanguínea e pode ser passado muito rapidamente para o bebê através do leite materno. É melhor evitar o álcool por completo durante a amamentação devido a sua toxicidade.
Cada mãe e cada bebê podem reagir de formas diferentes a determinados alimentos. Se tiver alguma dúvida ou preocupação, consulte o seu pediatra ou consultor em aleitamento materno.

Este post e blog é uma cortesia da equipe de pesquisa do https://www.babycentral.com.br/

segunda-feira, 14 de maio de 2018


Absorvente lavável (Pads Laváveis) ou Absorvente Descartável, qual o melhor?


Absorvente lavável para seios e absorvente descartável
Avaliamos os prós e os contras de cada um dos tipos de absorventes e protetores para seios e ao final chegamos a algumas informações e conclusões importantes.
As lactantes aqui do Baby Central utilizaram durante o período de 10 meses tanto os absorventes descartáveis quanto os absorventes laváveis em algodão. Conseguimos concluir foi que ambos funcionam muito bem, mas se utilizados de forma correta e no momento correto da amamentação.

Nos primeiros meses de aleitamento o corpo da mamãe está se adaptando a demanda do bebê o que faz com que ele produza uma quantidade de leite variável durante o dia. Parecendo descontrolada as vezes, esta produção chega a vazar em determinados momentos, podendo constranger a mamãe com manchas indesejáveis na roupa, na hora errada. Os absorventes têm o propósito de evitar estes embaraços.
Não se preocupe aliás! O seu corpo é superinteligente e vai estabilizar a produção!

Absorvente Descartável

Este absorvente à primeira vista pode parecer uma alternativa muito cara se comparada a uma alternativa em que se pode reutilizar várias vezes e indefinidamente, porém não é bem assim, o absorvente descartável tem o seu momento de ser utilizado. No início do período de aleitamento a produção de leite é realmente errática. Tem horas que não vem quase nada de leite e há horas que parece que seu seio irá explodir. É comum neste momento que o peito vaze leite, algumas vezes vaza muito leite, muito mesmo. A ponto de parecer que você deixou cair um copo de água na blusa sem perceber.
O absorvente descartável é o mais indicado para esta fase pois tem um poder de absorção até 6 vezes maior que o absorvente de algodão lavável. Ele tem o poder de absorver até mais ou menos uns 60 ml de leite, o que dependendo da produção da mamãe, pode chegar a umas 6 horas de proteção.

Absorvente Lavável

Após o período de maior ajuste do corpo, o seio irá produzir somente a quantidade necessária de leite para o bebê se alimentar, de acordo com a sua demanda. Quando a mamãe perceber que os absorventes descartáveis estão saindo mais ou menos secos, ou então que domoram muito tempo para encher, é o momento de utilizar o absorvente lavável.
Este absorvente tem várias vantagens claras, a economia é uma delas, mas seu objetivo principal não é a absorção de líquidos e sim proteger o mamilo de fricção com o sutiã, proteger de pequenos vazamentos que possam manchar a roupa, proteger a mama de contaminação e suor, e garantir a higiene da mama.

Conclusão

Ambos os tipos de absorvente têm uma importante função, a de mantar as mamas secas o máximo de tempo possível, evitando que o local fique úmido e favoreça o desenvolvimento de fungos no local.
Utilize o absorvente adequado, no momento correto e você estará poupando dinheiro, constrangimento e principalmente, mantendo seu bebê saudável e bem alimentado.

Este post e blog é uma cortesia da equipe de pesquisa do https://www.babycentral.com.br/

sexta-feira, 11 de maio de 2018

Como descongelar leite materno


Uma parte importante e crucial para todo o processo de armazenamento de leite materno é o processo de descongelamento ou aquecimento. Muitos são os casos onde todo o trabalhão que deu para extrair e armazenar o leite se perde em questão de segundos.

Geralmente o descongelamento é feito lentamente deixando o leite pelo menos 12 horas antes da utilização no refrigerador. Após isso, encha uma vasilha com água quente e coloque o frasco, em alguns minutos o leite estará pronto para consumo.

Caso não tenha se planejado para retirar o frasco do congelador, o mais aconselhável e seguro é água corrente quente ou em uma tigela com água quente, porém este processo pode tardar mais. Quando o leite estiver somente refrigerado este processo deve durar no máximo 3 minutos. Caso esteja congelado, pode demorar até 20-30 minutos dependendo da quantidade de leite. Mantenha o recipiente fechado para evitar contato com a água ou o desperdício.

Em casos excepcionais e de urgência, descongele diretamente na panela lembrando que o leite deve estar a temperatura máxima de 36° Celsius (temperatura corporal) consequentemente NUNCA deixe a água ou leite ferver. Controle a temperatura da água ao mesmo tempo em que mexe em movimentos circulares o frasco e o leite que está dentro dele. Este movimento garante que o leite descongelará/aquecerá de maneira uniforme e evita que ele estrague (além de acelerar o processo). Sempre mexendo o líquido, verifique constantemente a temperatura colocando a mão ao redor do frasco. Quando estiver “quentinho” ao toque, interrompa o aquecimento.

NÃO UTILIZE O MICROONDAS! Ele irá reduzir ou eliminar alguns importantes componentes/nutrientes do leite, além de limitar a sua capacidade de controlar a temperatura e descongelamento.

Sabemos que é super difícil executar todo este processo, ainda cuidar do bebê e outras atividades que tomam muito a atenção e tempo da mamãe. Para isso recomendamos a utilização de um aquecedor elétrico com temporizador e temperatura controlada. Eles facilitam e garantem segurança para o processo, além de evitar que o tão valioso leite se perca.

Algumas regrinhas a serem seguidas:
- O primeiro leite tirado deve ser o primeiro a ser utilizado
- Você pode complementar o frasco com novas tiradas de leite, porém você deverá se atentar a primeira data de validade. Esta deverá ser a data limite, mesmo com leite mais recente sendo incluído.
- Depois de descongelado o leite deve ser utilizado em 24 horas
- É comum e normal o leite se separar em camadas de gordura e outros líquidos. Para que ele volte a se homogeneizar mexa em movimentos circulares, sem chacoalhar muito.
- Caso o bebê não tome todo o leite o mais seguro é que ele seja descartado.



Fonte: American Center for Disease Control and Prevention
Para outras informações consulte:
Leite de Mãe é um blog patrocinado por https://www.babycentral.com.br



Como armazenar leite materno



Muitas mães se perguntam a melhor e mais segura forma de armazenar o leite materno após ser retirado. É super importante seguir algumas regrinhas básicas em relação ao armazenamento, mas tudo começa com uma extração segura.

Lembre-se que todas as partes que entrarão em contato com o leite materno devem ser esterilizadas. A esterilização das peças desmontáveis pode ser feita com a fervura em uma panela com água em um fogão, mas recomendamos a utilização de esterilizadores de micro-ondas por serem mais seguros. Já vimos muitos casos em que a mamãe esquece o material no fogo e eles derretem, não só o prejuízo financeiro é grande, mas também é um risco imenso para sua família.

Após os materiais de extração serem esterilizados e a extração ser concluída, é importante que o leite seja armazenado em recipientes de vidro ou plástico (flexível ou não), também esterilizados. Não utilize recipientes sem tê-los lavado muito bem e depois de serem esterilizados.

Com o recipiente cheio ou não, tampe-o o quanto antes para evitar quedas, desperdícios e possíveis contaminações, identifique-o com a data de coleta muito claramente para que você possa acompanhar a validade. O leite materno congelado deve durar em torno de 15 dias, mantendo todas as suas propriedades.

Caso queira manter o leite somente refrigerado a duração será de até 3 dias. Não é recomendado manter o produto em um refrigerador que seja muito usado. A abertura e fechamento da porta pode resultar em variações de temperatura e consequentemente fazer perder o tão suado leite materno. Não deixe o produto na porta do refrigerador, ai é onde há mais variação de temperatura.


Fonte: American Center for Disease Control and Prevention
Para outras informações consulte:

Leite materno ou leite de fórmula Os bebês nascem para serem amamentados. O leite materno não só é ideal para a nutrição do bebê, como...