O avanço dos casos de Coronavírus (COVID-19) no mundo acenderam o sinal de alerta em todos. Fronteiras sendo fechadas em diversos países da Ásia, Américas e Europa, índices de mortalidade aumentando em países como Itália e França, além da OMS relatar que já existam casos de mortes de crianças pelo vírus, mesmo elas não estando na faixa de risco. Mas como fica a amamentação em tempo de Coronavírus?

Entretanto, para que não haja a propagação da doença e nem de pânico, medidas devem ser adotadas por todos e, inclusive, por gestantes e lactantes, visto que elas têm a principal ligação com os bebês indefesos, que não possuem todos os anticorpos.

Neste texto especial, vamos abordar tudo o que você precisa saber sobre o Coronavírus e amamentação, além dos cuidados a serem tomados neste momento de pandemia e como mecanismos, como as bombas extratoras de leite, podem evitar a propagação da doença para recém nascidos e bebês.

coronavírus e amamentação

Posso amamentar se estiver com Coronavírus?

Como o Coronavírus (COVID-19) é uma doença nova e sem muitos estudos realizados, institutos de pesquisa não possuem muitos dados concretos e completamente reais sobre todos os problemas e formas de transmissão.

O Departamento Científico de Aleitamento Materno da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) divulgou uma nota de alerta aos pediatras sobre o coronavírus e amamentação em mulheres que estejam com suspeita ou infectadas pelo vírus.

O documento ressalta o posicionamento dos pediatras pela manutenção da amamentação em mães portadoras do COVID-19, uma vez que as principais publicações sobre o tema, até então, indicam que os benefícios do leite materno superem os riscos de transmissão.

A nota baseia-se em um estudo divulgado pela revista científica The Lancet (em inglês), em que até o momento da publicação, destaca que de nove pacientes com pneumonia causada pelo COVID-19, em seis foi pesquisada a presença do vírus no líquido amniótico, sangue do cordão umbilical, leite materno e no teste  da orofaringe do recém-nascido. Entretanto, todas as amostras se mostraram negativas.

No entanto, no epicentro da doença na China, médicos de Wuhan anunciaram que uma mulher infectada com o novo coronavírus deu à luz um bebê que também foi diagnosticado com a doença horas depois. O mesmo se recuperou na sequência.

Quais cuidados devo ter ao amamentar?

O Royal College of Obstetricians and Gynaecologists (RCOG), de Londres (em inglês), enfatiza que o mesmo que a SBP, quando o assunto é sobre os benefícios de a amamentação superarem quaisquer riscos potenciais de transmissão do vírus, por meio do leite materno.

A amamentação por meio do contato do bebê com o seio aumenta o risco da transmissão, visto que há proximidade maior do bebê com a mãe infectada. O uso de bombas extratoras é o mais recomendado por especialistas chineses.

Assim, as portadoras do COVID-19 que desejam amamentar devem tomar as seguintes precauções para evitar a disseminação viral para o recém-nascido:

– Lavar as mãos antes de tocar no bebê, na bomba extratora de leite e em mamadeira;

– Usar máscara facial durante a amamentação ou retirada do leite materno pela bomba extratora;

– Seguir rigorosamente as recomendações para limpeza das bombas extratoras após cada uso;

– Considerar a possibilidade de solicitar a ajuda de alguém que esteja saudável para oferecer o leite materno ordenhado ao bebê, com a ajuda de mamadeiras e bicos específicos, para que não haja confusão entre bico de silicone e seio.

Na Baby Central você encontra bombinhas e acessórios para ajudar na amamentação do seu bebê. Caso seja melhor, você pode alugar pelo tempo que você precisar!

Deixe um comentário.