A mastite é uma inflamação na mama que geralmente provoca dores, desconforto, inchaço ou vermelhidão. É mais comum entre mulheres que estão nas primeiras semanas da amamentação, mas pode acontecer durante toda a lactação.

O tratamento precoce dessa infecção é crucial para evitar complicações. A amamentação normalmente ajuda a prevenir e resolver a condição, mas é importante usar as técnicas corretas para que o peito seja esvaziado completamente após a mamada.

Nesse artigo vamos falar sobre os sintomas e fatores de risco da mastite, assim como, quais cuidados tomar e como prevenir.

O que é a mastite?

A mastite é um processo inflamatório na mama, mais comum entre mães que nas primeiras 6 ou 12 semanas de amamentação. Ela pode ser muito dolorosa e incomoda e pode fazer com que a mãe queira abandonar a amamentação, mas uma vez que a infecção diminuir, será possível continuar amamentando sem dor e aproveitar esse momento compartilhado, sabendo dos benefícios que a amamentação traz para você e seu bebê.

Quais os principais sintomas da mastite

Quando se começa a amamentar, é normal sentir uma sensibilidade nos seios, mas isso não significa que seja a mastite. Normalmente os sintomas da mastite começam com dor na região do mamilo, podendo haver vermelhidão na pele e sensação de calor na mama ao tocá-la.

Em alguns casos, a mulher pode ter náusea e até uma febrícula, assim como em uma gripe.

Confira os principais sinais e sintomas da mastite:

  • Dor e sensação de febre no peito durante a amamentação (geralmente essa infecção só afeta um seio);
  • Desconforto ou dor na mama;
  • Inchaço do seio;
  • Vermelhidão na área afetada;
  • Sensação de cansaço ou fadiga;
  • Mal-estar;
  • Dor de cabeça;
  • Febre acima de 38°C e calafrios.

O que causa a mastite

Várias fatores podem causar a mastite, porém, o principal é a pega incorreta do bebê. A sucção errada pode fazer com que surjam fissuras no tecido do mamilo que acabam se tornando porta de entrada para as bactérias que geram a mastite.

Outros fatores que podem causar a mastite são, a Estase Láctea, que nada mais é do que o mau esvaziamento da mama após as mamadas, pois o leite retido pode então causar dor, o que poderá levar à infecção.

Ducto Lactífero bloqueado também é um fator que pode causar a mastite. Pois se um ducto lactífero ficar bloqueado, o leite pode empedrar e assim pode ocorrer a infecção. E por fim, as bactérias da sua própria pele e da boca do bebê podem entrar em contato com os ductos através de uma fissura ou rachadura na pele do mamilo ou por meio de uma abertura do ducto lactífero. O leite materno gera um ambiente propício para a proliferação das bactérias que podem causar mastite.

Como prevenir a mastite

Mesmo a mastite sendo uma doença comum entre as mulheres, algumas ações podem ajudar a impedir que a infecção aconteça, confira:

  • Certifique-se de que a pega do bebê está correta durante a mamada;
  • Esvazie completamente a mama após amamentar;
  • Alterne as mamas enquanto estiver amamentando para promover o esvaziamento completo do peito;
  • Antes de mudar seu bebê de peito, verifique se já esvaziou o primeiro antes de passá-lo para o segundo
  • Amamente em livre demanda;

Quando chegar a hora de desmamar o seu filho, a dica é o desmame gradativo, para evitar a mastite. Converse com seu(a) consultor(a) de lactação ou médico se tiver dúvidas.

Tratamento para mastite

É muito importante tratar a mastite assim que ela for detectada (preste muita atenção aos sintomas mostrados acima).

O primeiro passo sempre é consultar um médico para que seja feita uma avaliação e assim tratar da melhor maneira possível.

Geralmente são prescritos antibióticos orais para o tratamento da mastite. Caso os antibióticos não a curarem completamente, ou caso houver a recorrência da infecção, fale novamente com seu médico.

Como aliviar o incomodo da mastite

Veja algumas dicas que podem ajudar a aliviar um pouco os sintomas da mastite durante o tratamento.

  • Amamentar regularmente pode ajudar a reduzir a inflamação e liberar a área bloqueada.
  • Faça compressas mornas nos seios para apoiar na saída do leite e esvaziamento da mama, mas não em excesso para não induzir a produção de mais e mais leite. Após o esvaziamento da mama, interrompa a compressa. Você pode utilizar compressas próprias ou uma fralda aquecida com água morna. Isso poderá ajudar a remover o leite empedrado que talvez esteja bloqueando o fluxo e impedindo o esvaziamento do peito durante a mamada.
  • DESCANSE E BEBA MUITA ÁGUA!
  • Se a amamentação for muito dolorosa, tente fazer a ordenha com a bomba ou manualmente.
  • Use um sutiã que dê apoio suficiente para o peito.

Como amamentar com mastite

Mesmo sendo bastante dolorido, é muito importante não interromper a amamentação durante a mastite, pois evita a retenção de mais leite e a proliferação de bactérias.

A amamentação pode e deve ser feita de forma normal, sendo ideal diminuir o intervalo entre as mamadas e tentar fazer com que o bebê esvazie ao máximo a mama, e caso isso não aconteça, é recomendado que o esvaziamento seja feito de forma manual. As bombinhas de tirar leite (manuais e automáticas), ajudam muito nesse processo.

Caso a amamentação tenha que ser de fato interrompida, é muito importante fazer a retirada do leite e o armazenamento, pois assim é possível aliviar os sintomas da inflamação.

A mastite pode ser desanimadora, mas lembre-se que assim que ela estiver curada, você poderá continuar amamentando normalmente o seu bebê e apreciando esse momento de criação de laços.

Deixe um comentário.