Tire suas dúvidas sobre como deve ser feito o uso e qual anticoncepcional tomar depois de 6 meses de amamentação!

A gestação e os primeiros meses após o parto são períodos de muitas mudanças no organismo da mãe, principalmente mudanças hormonais. Por isso, uma dúvida constante de novas mamães é de quando é necessário retornar com métodos contraceptivos após o parto do bebê. 

Isso é uma dúvida recorrente, visto que a mulher permanece sem ovular após a gravidez por um período de tempo muito variável. Esse intervalo pode variar entre semanas ou até mesmo mais de um ano. 

Assim, é necessário entender como as mudanças hormonais afetam a ovulação e a partir disso definir qual o melhor anticoncepcional para você.

Amamentação exclusiva pode servir como um método contraceptivo?

Em primeiro lugar, é importante ressaltar que, segundo a Organização Mundial da Saúde, o ideal é que o bebê seja alimentado exclusivamente pelo leite materno até os seis meses de idade. 

Essa abordagem permite que ele cresça mais saudável e forte. Mas como a amamentação pode afetar a fertilidade da mulher? Após o parto e durante a mamada do bebê, há um estímulo no corpo da mãe para a produção de um hormônio chamado prolactina. 

Além disso, esse hormônio exerce um grande papel na produção de leite e, por isso, é essencial nesse momento. No entanto, uma outra ação dele, nesse caso, é inibir a ovulação temporariamente. Por isso é tão importante saber qual anticoncepcional tomar depois de 6 meses de amamentação.

Dessa forma, se o bebê for alimentado somente com o leite materno, a maior chance é de que a mulher esteja num período infértil e não corre risco de engravidar. 

Essa prevalência é, principalmente, até os 6 meses de vida do bebê, que é o período ideal para o aleitamento exclusivo. Contudo, é importante lembrar que essa forma de contracepção não é 100% segura e vale a pena consultar o seu médico sobre esse assunto.

Qual o melhor anticoncepcional após 6 meses de amamentação?

Após os 6 meses de amamentação, o uso de anticoncepcional oral é totalmente seguro para a mãe. Entretanto, é fundamental lembrar que durante o aleitamento, o uso de anticoncepcionais a base de estrógeno não é recomendado. Isso porque o estrógeno atua reduzindo e modificando a produção de leite. 

Caso o uso do anticoncepcional se inicie antes dos 6 meses, o risco do uso de estrógeno é ainda maior, já que esse hormônio pode passar para o leite e causar danos à saúde do bebê ou até mesmo aumentar o risco de trombose na mãe.

Assim, o anticoncepcional ideal durante o período de amamentação é o que seja baseado no hormônio progesterona. Esse tipo é muito seguro para a mãe e bebê e não prejudica a produção de leite.

O mais comum é a minipílula, que deve ser ingerida diariamente pela mulher. Nesse método, um fator muito importante é que o horário de tomar o anticoncepcional seja o mesmo todos os dias. Um atraso de poucas horas já pode ser suficiente para que o fármaco perca a sua eficácia. 

As opções de minipílula, baseadas em progesterona, disponíveis no mercado são:

  • Norestin ou Micronor: essas duas opções possuem o princípio ativo chamado de Noretisterona.
  • Cerazette, Nactali, Juliet  ou Kelly: esses anticoncepcionais também são de progesterona e tem o princípio ativo Desogestrel. 
  • Exluton: esse fármaco tem o Linestrenol como princípio ativo.

Inscreva-se e tenha acesso a descontos exclusivos

* indicates required

Outros anticoncepcionais à base de progesterona

  • Implante subcutâneo: também conhecido como Implanon, esse método pode ser iniciado logo após o parto e tem alta eficiência na contracepção. A abordagem é feita de modo que se coloca um bastonete fininho nas camadas mais superficiais da pele. Após ser implantado ele libera progesterona sintética de forma periódica e tem duração de cerca de 3 anos.
  • Anel vaginal: esse anel também é conhecido como Implanon e tem o composto ativo e a forma de ação semelhante ao Implanon subcutâneo. A diferença é que esse método tem duração de apenas 3 semanas, devendo ser renovado.
  • Injeção intramuscular: esse método também tem como princípio ativo a progesterona e deve ser reaplicado a cada 12 semanas. Sua eficácia também é excelente e pode ser aplicado logo após o parto.

Existem outros métodos contraceptivos?

Vale lembrar que, como a amamentação não é um método tão seguro de contracepção, o uso da camisinha desde o pós parto é extremamente seguro e indicado.

Outro método muito comum nesse momento é a colocação do Dispositivo Intrauterino (DIU), principalmente o não hormonal. Esse procedimento pode ser feito até mesmo no momento seguinte ao nascimento da criança e deve ser uma escolha da própria mulher. 

Assim, para prevenir uma gravidez por acidente durante a amamentação do bebê, existem diversos métodos disponíveis. Basta conversar com um médico de confiança e decidir qual forma é a mais segura e confortável para você.

Afinal, agora que você já sabe qual anticoncepcional tomar depois de 6 meses de amamentação, curta nossas dicas da Baby Central, comente aqui a sua dúvida e feedback.

Leave a comment